Alenquer



                                                                         
                                                   
 História 

Os registros da formação do povoado que originou o atual município de Alenquer datam da primeira metade do século XVIII, quando os capuchos da Piedade estabeleceram a sede da catequese no Rio Curuá. Ali trabalharam na convenção dos índios Árabes. Naquele local, enfrentaram uma série de doenças tropicais que os levaram até o Rio Surubiú, onde permaneceram.


Foto : Imagem histórica da frente de Alenquer.



Em 1775, o então governador do Grão-Pará Francisco Xavier de Mendonça Furtado, subiu o Amazonas dando nomes portugueses as antigas missões religiosas. Assim o Surubiú passou a ser chamado Alenquer, elevando à categoria de Vila através da Carta Régia, de 06 de julho de 1775. Depois disso, por um breve período, a partir de 1833, Alenquer passou a ser anexada a Santarém, conquistando sua autonomia definitiva em 23 de julho de 1848, sendo elevada a categoria de cidade em 10 de julho de 1881.


Foto : frente da cidade de Alenquer atualmente.



Os habitantes têm seu gentílico "alenquerense", mas dá-se o codinome "ximangos" aos naturais do município. Em alusão à uma espécie de Gavião da Amazônia. Já a Cidade de Alenquer recebe o carinhoso apelido de "Cidade Amor ou Cidade das Águas". 




Alenquer e o Plebiscito do Estado do Tapajós – 2011

A cidade de Alenquer, assim como todas as outras que fazem parte do que será o Estado do Tapajós, teve uma votação de forma totalmente positiva para a criação do mesmo. Com 23.013 votos a favor e apenas 860 votos contra a população expressa o grande sentimento de compor esse que será o mais novo Estado do Brasil.





         Aspectos Geográficos

O Município de Alenquer – PA, situa-se à margem esquerda do rio Amazonas e do Rio Surubiú, na região oeste do Pará, mesorregião do Baixo-Amazonas, microrregião de Santarém, principal acidente geográfico não só do município, mas de toda a região amazônica.




Limita-se com os municípios de Óbidos, Almeirim, Monte Alegre, Santarém e Curuá. A cidade de Alenquer situa-se à margem do igarapé de Alenquer (antigo rio Surubiú) e dista 701 Km (em linha reta) da capital do Estado. 
Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Alenquer estima ter uma população de 56.480 pessoas nesse ano de 2018.

            COORDENADAS GEOGRÁFICAS                      
(sede do município) 01º 56' 56" de latitude sul e 54º 45' 38" de longitude W. de Gr.
LIMITES                                                             
Ao Norte: Município de Almeirim
Ao Sul: Santarém
A leste: Município de Monte Alegre
A Oeste: Óbidos e Curuá
ÁREA -24.496 Km².
ALTITUDE - 36 metros sob o nível do mar




  Cultura

Alenquer é uma cidade muito rica culturalmente, além das tradições religiosas como o Círio de Santo Antônio (padroeiro do município), a mesma também possui eventos regionais como o  RAID – Alenquer – Curuá, e eventos municipais como as Cavalgadas, a disputa folclórica entre os grupos Zé Matuto e Matutando, e a  manifestação cultural dos remanescentes de quilombolas, passada de geração em geração, da comunidade do Pacoval chamada de Marambiré, envolvendo brincantes e espectadores, com dança, percussão, música, canto e teatro.

 

Festival Folclórico Alenquerense 
É uma das mais expressivas e conhecidas manifestações folclóricas do interior do Estado pela sua beleza e originalidade. Há apresentação de músicas locais, fantasias e alegorias dentro do contexto das tradições amazônicas, do folclore indígena, da influência negra, lendas, mitos e toda a expressão da riqueza cultural da região.



Zé Matuto e Matutando

Esses grupos apresentam-se no último dia do Festival do Folclore Alenquerense, período de 28 a 30 de junho e já atraem simpatizantes de todos os recantos da região amazônica, que se deslocam para assistir o grande espetáculo.
Foto : Disputa dos grupos folclóricos Zé Matuto e Matutando.

O povo alenquerense aparecia muito as diversões, principal mente a dança, praticada de sexta-feira a domingo, tantos nos onze clubes urbanos, como na zona rural.
Zé Matuto – com as cores vermelho e branco, representando o bairro da Luanda;
Matutando em Férias - com as cores verde, azul e branco, defendendo o bairro do Aningal.




        Marambiré


A Brincadeira do Marambiré, da Comunidade Quilombola do Pacoval – município de Alenquer/PA, é uma manifestação cultural afro-amazônida dos gêneros brasileiros “congado e reisado”, em louvor a São Benedito, com expressão tradicional desde  13  de dezembro – dia de Santa Luzia, a 20 de janeiro – dia de São Sebastião; um ciclo ritualístico de cantorias em línguas portuguesa e africana de matriz Bantu (provavelmente reminiscências do kimbundu, kikongo, umbundu – línguas vivas de Congo e Angola).


Foto: documentário sobre identidade de quilombolas do Baixo Amazonas que foi produzido na comunidade do Pacoval, em Alenquer.


 


As danças são marcadas por instrumentos diversos: caixas, pandeiros, violão, rabeca, reco-reco…, revelando grandes contribuições também íbero-mediterrâneas, e dançadas em ritmos de valsa e Lundum - o momento culminante do Marambiré.


Foto: Apresentação de dança específica do Marambiré. 


             

Círio de Santo Antônio


O Círio de Santo Antônio é uma das maiores manifestações religiosas do oeste do Pará. Durante o trajeto, os féis demonstram a fé por meio de orações, cantos e louvores. As festividades duram 13 dias, reunindo os fiéis da cidade, visitantes e turistas da região.


Foto : chegada do círio na igreja da matriz de Alenquer (imagem da internet).

 

No dia 01 de Junho, às 0 hora (início da festa), badalam os sinos da Igreja Matriz de Alenquer, fogos de artifícios, música, a começar pela comunidade de Santo Antônio (bairro - centro) seguida  de todas as Igrejas e Capelas as 07 horas da manhã a imagem e conduzida em procissão triunfal até o elevado da praça da Igreja Matriz de Alenquer.


Foto : chegada do círio na igreja da matriz de Alenquer (imagem da internet).


     Com a realização da Procissão Círio, inicia-se as festividades do Glorioso Padroeiro, com trezena todas as noites, arraial, apresentações folclóricas e muitas barracas vendendo comidas típicas. 13 de junho marca o dia do encerramento da Festa de Santo Antônio, com missa solene às 09 horas da manhã e as 17 horas procissão com a imagem de Santo Antônio percorrendo as principais ruas da cidade. A festa é organizada por uma diretoria escolhida com o apoio da paróquia.




Cavalgadas 





Foto da XXVIII Cavalgada. 11 de junho de 2018 (imagem da internet).



  As cavalgadas acontecem anualmente, no dia 11 de junho, quando é comemorado dia da Associação dos Vaqueiros de Alenquer (AVA), nesse dia todos os vaqueiros, caravanas, fazendeiros e grupos agrícola fazem a cavalgada pelas principais vias da cidade. A cada ano que passa o evento regional traz mais participantes.








                                                          Foto da XXVIII Cavalgada. 11 de junho de 2018 (imagem da internet). 
           



                                                                                                                                    

Raid – Alenquer – Curuá

Considerado um dos maiores eventos esportivos radicais do oeste do Pará, o Raid mobiliza milhares de pessoas da região que gostam de aventura e muita adrenalina.

Foto: participantes no meio do trajeto até Curuá.

A trilha do Raid liga as cidades de Alenquer e Curuá pelos campos de várzea, época do verão amazônico em que o nível das águas do Rio Amazonas está mais baixo e as chuvas ainda não começaram.

Foto : momento da travessia do rio, local onde muitos ficam atolados, porém o espirito esportivo prevalece.
O evento Off-Road, já é considerado o maior evento esportivo radical do baixo amazonas e um dos maiores do norte do Brasil. É com esse pensamento que a população desses municípios define o passeio ecológico, que envolve trilhas por áreas de várzea em cima de veículos automotivos, entre os mais populares motocicletas e carros traçados, além de outros.
O mesmo acontece há 19 anos e ganhou adeptos do Brasil inteiro, são muitas as caravanas que chegam de vários cantos do país. Para esse ano de 2018 são estimados  mais de 15 mil pessoas no público geral, mais de 7mil motos e aproximadamente mil veículos, aventureiros de quase todos os municípios da região, entre os principais: Prainha,  Monte Alegre, Santarém, Altamira, Itaituba, Alenquer, Óbidos, Curuá, Oriximiná, Juruti, bem como de outros estados, como o Amazonas e da capital paraense Belém.

Imagem da internet
O trajeto do Raid, inicia na manhã de sábado na cidade de Alenquer, que tem 60 km de extensão. É realizado nos campos que se formam no período da seca, na região de várzea, entre os dois municípios. Uma das marcas desse evento são os atoleiros ao longo do percurso, que tornam a trilha ainda mais emocionante. Esse ano as águas demoraram um pouco mais a baixar e os atoleiros aumentaram, por consequência também aumentando a emoção e a paixão do “raideros” pelo evento. Quando aparecia um trecho de lama pela frente, a satisfação era enorme, pois para eles não existe Raid sem lama.

Foto :  aventureiros atentos a trilha para não atolar.
Reencontrar antigas amizades ou mesmo simples conhecidos, durante o percurso é outra surpresa da trilha. Deixar para trás um veículo atolado é proibido no Raid e nessas horas a união sempre faz a diferença. Em trechos onde o tráfego de carros era mais complicado, não era difícil encontrar os participantes unidos fazendo um grande esforço para ajudar os veículos atolados de conhecidos ou até mesmo de desconhecidos, a prosseguir o seu caminho.


Pontos Turísticos
Sítio arqueológico e cachoeiras são principais pontos turísticos da cidade.

Cidade dos Deuses



Na imagem à esquerda a famosa Taça dos Deuses.


Um sítio arqueológico conhecido e explorado por excêntricas formações rochosas esculpidas pelo vento, a Cidade dos Deuses é um dos principais cartões postais de Alenquer e fica localizada a 45 quilômetros do centro da cidade.

Imagem da internet


Dependendo da época do ano, o turista também pode testemunhar a abertura de raras orquídeas que desabrocham uma vez por ano em meio às pedras, que acontecem geralmente entre julho e outubro, logo após o período de chuvas.

Imagem da internet




     
  A cidade dos deuses não é só um cartão postal de Alenquer, mas um documento da própria história da existência humana, a melhor demonstração de tudo de incomum que a tão falada, mas igualmente desconhecida floresta amazônica pode oferecer.



Cachoeira Vale do Paraíso

Vale do Paraíso, Alenquer, PA.



O Vale do Paraíso é a junção de três lindíssimas cachoeiras, refúgio de antigas tribos indígenas, que se situa a 58 km da cidade de Alenquer no Estado do Pará, coração da Amazônia brasileira.


Cachoeira Vale do Paraíso
          

Um vale formado pela extinção de um rio, que com o tempo foi se transformando em um igarapé de águas cristalinas que corre sobre lápides de pedra e caem esplendorosamente formando diversas cachoeiras.


Foto : corredeiras da Cachoeira Vale do Paraíso

Destacando-se as cachoeiras do Paraíso (12 metros de queda), Véu da Noiva (18 metros de queda com poço próprio para mergulho com lanterna) e Preciosa (35 metros de queda livre, ideal para prática de rapel).

Vale de belezas naturais, uma reserva florestal que impressiona pela sua paz e integração ecológica entre o homem e a Floresta Amazônica. Rico em vida vegetal e animal, local próprio para aventuras como: trilhas na selva, passeios ecológicos, noites na mata, mergulho e rapel. Também ideal para ler, descansar e aproveitar bons banhos nas cachoeiras.


Chalés para aluguel 
 Cachoeira Vale do Paraíso, é como o próprio nome diz, um paraíso escondido na selva Amazônica. Você dorme com o som da cachoeira e acorda com canto dos pássaros, um lugar mágico.
O passeio é de aventura, pois seu acesso é em meio a muitas pedras, mas vale muito a pena conhecer esse recanto encantado na Amazônia.


Restaurante da Cachoeira Vale do Paraíso

Para quem quiser passar todo o final de semana no local existem chalés onde você pode dormir, sem contar as delícias típicas que estão disponíveis no restaurante, os preços não são abusivos e você pode passar um lindo final de semana em total harmonia com a natureza.


Cachoeira Véu de Noiva

Para chegar até a Cachoeira Véu de Noiva é exigido um pouco mais de paciência do aventureiro, pois além de todo o percurso até a Cachoeira Vale do Paraíso, é preciso fazer mais alguns minutos de trilha a pé (com alguns obstáculos pequenos até a próxima cachoeira). 


Cachoeira Véu de Noiva

Apesar de todo o esforço pra chegar até o local, quando os turistas se deparam com a beleza da Cachoeira eles esquecem totalmente do que foi passado para chegar até ali. Outra maravilha da natureza!!


Cachoeira Véu de Noiva





Cachoeira Preciosa

Onde você sente uma brisa refrescante e a energia d'agua. Excelente para rapel. No topo está a pequena Cachoeira da Onça.


Cachoeira Preciosa



Assim como para se chegar na Véu de noiva é necessário caminhar mais um trecho até a chegada da terceira parte do Vale Paraíso, a Cachoeira Preciosa. 


Cachoeira Preciosa







Economia

Há muitos anos a economia repousava principalmente na extração da castanha do Pará e da seringa, na produção da juta e na pecuária. A pesca atendia apenas ao consumo interno sendo pescados principalmente o acari e o tambaqui. Hoje a área agrícola é a que mais se destaca para o crescimento do PIB da cidade.


PIB per capita – 9.358,58

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – 0.564

Total de receitas realizadas – 100.593,00 R$ (x1000)


Total de despesas empenhadas – 100.537,00 R$ (x1000)






Clima

Em Alenquer, a estação com precipitação é de céu encoberto; a estação seca é de céu parcialmente encoberto. Durante o ano inteiro, o clima é quente e opressivo. Ao longo do ano, em geral a temperatura varia de 24 °C a 34 °C e raramente é inferior a 23 °C ou superior a 35 °C. A melhor época do ano para visitar Alenquer e realizar atividades de clima quente é do meio de junho ao meio de agosto.


TEMPERATURAS E PRECIPITAÇÕES MÉDIAS // CLIMA EM ALENQUER

            28 mm refere-se à precipitação do mês de setembro, que é o mês mais seco. Apresentando uma média de 244 mm, o mês de março é o mês de maior precipitação.






Considerações Finais

Alenquer é sem dúvidas uma das cidades mais ricas, tanto histórica, como turística e cultural da região Oeste do Pará. É uma cidade pacata, de população hospitaleira, ou seja, um excelente lugar para visitar e também para se viver. Para aqueles que deixam essa terra, a saudade é uma grande vilã no seu dia – dia, não só pelos amigos e histórias que ali ficam, mas porque somente Alenquer proporciona uma vida de momentos inesquecíveis para seus moradores. Cidade pequena onde todos se conhecem, mesmo que seja “só de vista” (termo usado na cidade).
Alenquer é sinônimo de tranquilidade e paz, principalmente quando se está debaixo de suas cachoeiras, aí tudo fica zen. Essa tranquilidade só acaba quando a época do RAID chega, aí tudo se transforma em adrenalina e lama, os ximangos ficam a mil por hora.
A “Capital do Mundo” é isso, uma mistura de paz e adrenalina, de rock e carimbó, de Zé Matuto e Matutando.



                                                                           
                                                                             Pesquisa e texto por Allan Snolden







Referências de dados colhidos sobre a cidade de Alenquer :

https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/alenquer/panorama - dados sobre aspectos geográficos; economia; população;
http://aterraximanga.simplesite.com/ - dados sobre História da cidade; Cultura; Pontos Tirísticos; Zé Matuto e Matutando; Cidade dos Deuses
http://www.cidadedosdeuses.com.br/ - Pontos Turísticos - Cidade dos Deuses.
http://valedoparaiso.tur.br/ - Pontos Turísticos - Cachoeira vale do Paraíso.
https://senaturismo.com.br/2017/11/08/cachoeira-vale-do-paraiso/ - Pontos Turísticos - Cachoeira vale do paraíso.
http://www.florestaaguadonorte.com.br/turismo/veu-de-noiva/ - Pontos Turísticos - Cachoeira Véu de Noiva.


Um comentário:

  1. Excelente trabalho sobre nossa amada Alenquer. Como sou filho alenquerense, vulgo ximango, aprecio o projeto Tapajós e podem contar com o meu apoio. Parabéns galera.

    ResponderExcluir